Powered by Bravenet Bravenet Blog

WebMaster

journal photo

Subscribe to Journal

Friday, June 12th 2009

3:03 PM

Hilário Afonso Cerveira da Silva «Bairradas»


AOS MEUS


Perdoa, Senhor, se estou a pecar
Ao te perguntar
Porque a via a vida do meu pai terás levado?
Agora, Senhor, por favor!!!
Te peço com fervor
Que o tenhas sempre a teu lado.

Outro favor Te peço
Embora saiba que não mereço
Por favor!
Senhor!
Guardai minha mãe e meus irmãos
Guiai-os sempre com vossas mãos.




Como teu pai já morreu
E Dele temos saudades
Por Ele te desejo eu
Um monte de felicidades.

A tua vida futura
Que te corra sempre bem
Que saibas vencer sozinho
E honrares o nome que tens.

Da tua Mãe muito amiga



Uma vida acabada
outra começada
Deixaste de estudar
Começas a trabalhar.

E agora para terminar
Saúde, paz e ventura
É o que te quero desejar
Na tua vida futura.

Da tua irmã amiga NÉLINHA



Pediste-me uns versos, colega
Irmão para melhor falar
Aguenta-te portanto muito bem
Pois na casaca vou cortar.

Grande rosca apanhaste
Que nem te podias mexer
Tive que te levar em braços
Para na cama te meter.

Armado em grande toureiro
Certo touro desafiou
Mas os bicho que não gostou
Para a barricada o levou.

Num dia de futebol
Grande fome eu levei
Atrás da sua baliza
De churrasco me fartei.

E para terminar
Uma coisa te vou desejar
Saúde, paz e ventura
E felicidades sem par.

Do Irmão e colega amigo MANUEL CERVEIRA SILVA «Cabilha»



Certa noite ao se deitar
Grito infernal eu ouvi
Acordei estremunhado
«Acudam-me que eu morri»

Uma simples picadela
Dum alfinete levou
Pensava que ia morrer
E toda a gente acordou.

Quem deitou o alfinete na cama?
Que me ia partindo a espinha!
Quem foi acuse-se já!
Que eu quero partir-lhe a pinha.

Meu caro sobrinho amigo
Por eu dizer as verdades
Não te vais zangar comigo
Desejo-te muitas felicidades.

Do teu tio JAIME


Um curso acabado
uma nova vida
Olhando em frente
Para o almejado
Uma lágrima sentida
Cai...
mas, enfim! Já és Regente!

É com saudade
Que hoje recordas
Sim! com saudade
Dos nós grossos das cordas
Que te prendiam e que agora
Soltos então...
Só não cora
Quem não tem coração.

Lembra-te oh! «Bairradas»
Dos sensacionais «Jogões»
Feitos nos famosos campos
Em que as «rematadas»
Dos mais matulões
Tu as defendias
senão fossem frangos?

Tudo passou
Tudo acabou
mas presentemente, Hilário
Tudo voltou com mais dificuldades
E os amigos Grilo & Mário
desejam-te felicidades.



Feio e fanfarrão
Sorna sem igual
«Forreta» e marrão
Eis o Regente Hilário.

Agora que vais partir
Um abraço te quero dar
Desejando-te no porvir
Felicidades sem par.

JOÂO RICARDO «Testas»



Lá vem um burro a zurrar
Mas que grande maçada esta,
Porque o terei que suportar?
Barulho não admito,
Que me faz irritar.
Pego já na tranca
Para ir amachucar.
Mas...Oh t'arrenego Satanás
É o «REITZ» a cantar.

Com um abraço do cole e amigo que te deseja felicidades  ALEXANDRE GALO



Guarda-redes ele quis ser!
Ah! Hilário lá na Anadia
Talvez fosses conhecido,
Mas aqui? Não pode ser!

Trabalha como regente
Que para isso estudaste
E esquece o futebol

Do amigo HUMBERTO



Ei-lo lá no cantinho
Irritado, o matreiro
Ei-lo bem escondidinho
Para o não chamarem frangueiro
Mas aí vem a bola,
Ele atira-se para o ar
Corre, deita-se, rebola...
Azar!!!
Foi golo.

Agora vais-te embora
Talvez p'ra sempre Hilário
Mas por favor, colabora
Deixando-nos um aviário.

Boa sorte e felicidades
Oxalá consigas casar
Para teres muitas filhas
Cá p'ra malta as namorar.

Do amigo GALHANAS



Louro e fartas sobrancelhas
Vermelhão e envergonhado
Conversas próprias de velhas
Guarda-redes fracassado.

Dois anos ele namorou
Sem a garota saber
Só quando o «flirt» acabou
É que ela o veio a conhecer.

Felicidades, deseja-te o amigo MICKEY



As bolas não apanha
este jovem guarda redes
Alcunhou-se de«aranha»
Por trepar pelas paredes.

E agora para terminar
Só te tenho a desejar
Felicidades sem fim.

Um abraço do colega amigo «ZÉ DOS CALOS»









 
0 Comentários.

There are no comments to this entry.

Post New Comment

No Smilies More Smilies »